Learning by Doing

Como fazer da inovação uma cultura corporativa? Como transformar o Design Thinking em uma prática real?

A capacidade de repensar – pensar diferente, pensar além, pensar de forma integrada – e ao mesmo tempo conseguir resultados significativos e eficazes, não é simples. A prática do Design Thinking, como a base para a inovação, utiliza métodos para estimular e orientar – mas não para resolver. Seu sucesso depende de uma “mente bem treinada”, e em uma certa receptividade organizacional e capilaridade.

Um dos nossos principais compromissos quando se trabalha com organizações é transformar a consultoria em uma experiência de aprendizagem coletiva. Colaboradores de diversas áreas da corporação aprendem sobre o nosso processo, assim como aprendemos com eles, e departamentos que trabalham próximos, mas não integrados, começar a aproximar opiniões e esforços de trabalho. Em alguns aspectos, vemos a consultoria como um “parêntesis”, onde os processos podem ser executados em velocidades diferentes e dentro de uma espécie de “território neutro”. Acreditamos que este é um grande espaço para transmitir novas formas de pensar e fazer.

Com este propósito em mente, o plano do projeto não é apenas projetado de acordo com o desafio, mas também com o objetivo de criar espaços para a integração. Uma série de workshops e “downloads” com o cliente ocorrem durante todo o processo, de modo que as trocas favorecem o entendimento comum, a criação coletiva e a disseminação dos aprendizados.

Design Thinking não é uma receita, é uma prática. Design Thinking torna-se uma prática, quando todos na organização tem confiança nele, quando todos vêem os resultados acontecendo.